Primeira Igreja Batista de Araguaína

Você está aqui: Missões

Missões

Surdos

E-mail Imprimir PDF
evangelismo surdos

evangelismo surdos

Ministério com Surdos

Diante da dificuldade de inserção do surdo na sociedade, o Ministério com Surdos de Missões Nacionais, coordenado por Marília Moraes Manhães, visa capacitar igrejas para transmitir o amor de Deus aos surdos e despertar vocacionados surdos e ouvintes para esta grande obra missionária, através das clínicas de capacitação líderes para este ministério, Grupo de Estudo e Discipulado, Curso de formação missionária para trabalho com Surdos, e cursos da Língua Brasileira de Sinais, LIBRAS.

Promove congressos de capacitação anualmente, projetos evangelístico Alcance Surdos, além de produzir e disponibilizar materiais estratégicos para a evangelização dos surdos no Brasil.

Há mais de 6 milhões de surdos brasileiros que não têm a oportunidade de ouvir a mensagem de salvação. Eles não podem compreender esta mensagem se não for pregada em sua língua, a Língua Brasileira de Sinais.

"É necessário capacitar liderança formadora de discípulos, conforme a ordem deixada por Jesus em Mateus 28.19 e 20, e levar o povo de Deus ao conhecimento dos surdos, de sua língua e cultura", declara Marília.

"Naquele dia, os surdos ouvirão a mensagem que será lida no livro fechado e lacrado..." Isaías 29.18a

Propósito

Ao pensar na evangelização dos surdos do nosso imenso Brasil, despertamos para a urgência desta realidade em nosso tempo.

É difícil imaginar que ainda existem grupos que conseguem viver sufocados numa sociedade majoritária em que sua língua e cultura são desconhecidas, sendo inibidos de se comunicar, participar como cidadãos ativos e, principalmente, de experimentar a alegria de conhecer o seu Criador.

O projeto inicial de Deus para o homem foi fazê-lo conforme sua imagem e semelhança.

Há uma Esperança para os surdos, "...pois o evangelho é o poder de Deus para salvar todos os que crêem..." Romanos 1.16. É seu objetivo que todos cresçam de maneira integral, que sejam conduzidos a um relacionamento com o próprio Deus e com o seu semelhante, inclusive os surdos.

Nossos objetivos

Alcançar o surdo com Evangelho, capacitando-o para o relacionamento com Cristo, como Salvador e Senhor,
Capacitar as igrejas para a promoção da inclusão social do surdo na família, na própria igreja e na sociedade.
Levantar líderes multiplicadores para a expansão deste ministério.
Capacitar liderança formadora de discípulos, conforme a ordem deixada por Jesus em Mateus 28.19 e 20.
Levar o povo de Deus no Brasil ao conhecimento dos surdos, de sua língua e cultura e respeitá-los.
Despertar a igreja, de uma forma geral, para assumir o compromisso de orar e se envolver na evangelização dos surdos e nos ministérios que têm sido desenvolvidos.

Como alcançar os objetivos:

Prestando atendimento ao público surdo e ouvinte interessado na evangelização, capacitação e discipulado dos surdos.
Orientando as igrejas que já atuam ou desejam implantar o ministério com surdos.
Realizando cursos de Língua Brasileira de Sinais, em igrejas e associações de igrejas e instituições ligadas à CBB, favorecendo aprendizado da língua e cultura dos surdos. O curso tem a duração de seis meses e é ministrado por professores surdos nativos na língua.
Ministrando Clínicas de Capacitação para associações e igrejas. Nestas clínicas trabalhamos em três frentes: na orientação para implantação do ministério com surdos e atualização dos intérpretes de língua de sinais com o Material "O Clamor do Silêncio" (atualizado e revisado); na clínica para surdos, com o objetivo de prepará-los para evangelização e testemunho pessoal, utilizando o material Guia Prático de Evangelização para Surdos; e no discipulado para surdos, com base no livro "Conhecendo Deus e Fazendo a sua Vontade" editado para surdos. As clínicas são realizadas no final de semana, com carga horária de 08 a 12 horas, de acordo com a necessidade do local e com agendamento prévio.
Oferecendo assessoria  às igrejas na implantação e revitalização do ministério. Essa assessoria é feita através de orientações em visitas à igreja local, por telefone, orientações sobre literaturas e outras...
Organizando Congressos Regionais e Estaduais de Evangelização e Discipulado. Estes congressos visam capacitar os surdos cristãos para servirem como evangelistas e discipuladores de outros surdos no Brasil, através de ferramentas que os auxiliarão nesta tarefa; e despertar vocações entre congressistas.
Realizando o projeto Alcance Surdos, que oferece a oportunidade para voluntários, motivados pelo amor de Deus, a alcançar os surdos brasileiros para Jesus, além de atender os campos carentes do trabalho com surdos. A ação evangelística se dá através de recenseamento de casas, realização de estudos bíblicos, cultos nas escolas e praças, atividades para crianças e outras. O trabalho social também é realizado através de palestras, de acordo a necessidade local e disponibilidade dos voluntários. O projeto será realizado anualmente no período de 15 dias mostrando o amor de Deus aos surdos e seus familiares.

Através de seu serviço voluntário, você contribui para a conquista de nossa Pátria para Cristo.

Contatos:
Missionária Marília Moraes Manhães
Pedagoga em Educação Especial de Surdos
Coordenadora  nacional do Ministério com Surdos da JMN
Junta de Missões Nacionais da CBB

Video da Campanha "Por um Brasil verdadeiramente feliz"

E-mail Imprimir PDF
por um brasil verdadeiramente feliz

por um brasil verdadeiramente feliz

"O Espírito do Senhor está sobre mim, pelo que me ungiu para evangelizar os pobres; enviou-me para proclamar libertação aos cativos e restauração da vista aos cegos, para pôr em liberdade os oprimidos, e apregoar o ano aceitável do Senhor." Lucas 4.18,19


Assista ao video da Campanha de Missões "Por um Brasil verdadeira feliz". E ajude-nos a divulgar a verdadeira felicidade para nosso país, Jesus Cristo.

Segue abaixo o link de acesso:

http://www.youtube.com/watch?v=eBDDQ74ErII

Radical Brasil abre vagas para formação de nova turma

E-mail Imprimir PDF

Já estão abertas as inscrições para o projeto Radical Brasil 2011. No próximo ano, Missões Nacionais mantém suas atividades na Cracolândia paulista, renovando apenas voluntários que darão prosseguimento ao trabalho da equipe anterior, e abrirá um novo ponto de atuação no Rio de Janeiro.

Serão apenas 30 vagas, divididas entre Rio e São Paulo. Os participantes aprovados por Missões Nacionais passarão por um período de 3 meses em treinamento no Rio de Janeiro, a começar em março de 2011. Após esse trimestre, seguirão para o campo missionário, onde poderão permanecer até dezembro do mesmo ano, podendo renovar sua permanência por mais um ano.

Os que desejarem participar, levando o evangelho aos marginalizados de SP ou RJ, deverão levantar o valor de R$ 300,00 mensais para o seu sustento. Estão incluídos neste valor moradia, auxílio para alimentação, custo do treinamento, cópias e apostilas. Faça já sua inscrição!

Clique aqui para mais informações sobre o Radical Brasil 2011

Campanha Missionária

E-mail Imprimir PDF
momento-missionario

momento-missionario

momentosmissionarios-retranca

momentosmissionarios-retranca

 

 

Os Momentos Missionários, cuja finalidade é aproximar a igreja local das campanhas missionárias e motivar os seus membros a apoiarem os projetos de evangelização no Brasil e no mundo, são espaços reservados nos cultos.

Por fazerem parte do culto ao Senhor, precisam ser bem planejados de forma que, durante o tempo usado para a exposição das informações (que deve ser de 7 a 10 minutos), a igreja seja inspirada a participar dos alvos espirituais e materiais que se desejam alcançar. Confira algumas sugestões de momentos missionários:

brasil

brasil

CURIOSIDADES DE NOSSA PÁTRIA

Este material pode ser usado como fonte de consulta para momentos missionários e também para uma feira ou ainda cantina missionária. Nele você encontra curiosidades, indicação de roupas típicas, receitas de pratos típicos e também os desafios missionários de cada região.
Use a criatividade e utilize este material de acordo com a realidade da igreja. 

Região Norte
Estados: Acre, Amapá, Amazonas, Pará, Rondônia, Roraima e Tocantins
Área 3.869.637,9 km² (45,27% do território nacional)
População: 11.561.113

Decoração: Motivos indígenas, florestas e seringueiras 
Roupa típica: Roupa de índio ou chapéu de palha, calça jeans com as pernas dobradas, blusa quadriculada, vara de pescar e sandália de dedo.
Lanche: Tapioca Doce (12 porções). Ingredientes: Massa - 500 g. de farinha de tapioca, 1,5 litro de leite, 1 litro de leite de coco, 3 colheres (sopa) de açúcar, 1 lata de leite desnatado, quanto baste de coco ralado. Cobertura - 1 lata de leite condensado, quanto baste de coco ralado. Sugestões de Cobertura - quanto baste de cupuaçu, 1 lata de leite condensado, quanto baste de castanha de caju ralada. Modo de preparo - Coloque a tapioca para hidratar com o leite por 1 hora. A seguir, misture o leite de coco, o leite condensado e o açúcar. Unte uma forma de buraco; acrescente metade da tapioca, regue leite condensado com o coco ralado e, por último, espalhe o restante da massa. Desenforme e cubra com leite condensado e coco ralado, ou com o cupuaçu batido com o leite condensado e a castanha.

Almoço: Paçoca com Banana - culinária roraimense. Ingredientes: 1 kg de carne de sol, pimenta, alho, vinagre, cebolas vermelhas, farinha de mandioca, óleo, água, banana-da-terra.

Modo de Preparo: Colocar a carne de molho em água, trocando-a de vez em quando para tirar o sal. Temperar e deixar tomar gosto. Refogar com um pouco de óleo e acrescentar água quente suficiente para a carne ficar macia. Quando a água secar, acrescentar mais óleo e fritar a carne. Juntar as cebolas em rodelas e refogar mais um pouco. Tirar o excesso de gordura e acrescentar a farinha. Passar a carne com a farofa no liquidificador. Acrescentar banana cortada em rodelas e misturar.

Fique por dentro: Apesar de ser a região com maior área, apresenta a menor densidade demográfica. Mesmo assim é a região que tem apresentado o maior crescimento populacional por causa da migração de nordestinos que, desde o século passado, são atraídos para o Norte.  As margens de seus milhares de rios, igarapés e igapós são ocupadas por 35 mil comunidades ribeirinhas com população de 6 milhões de habitantes. Concentra também grande população indígena, cujas terras são com frequência invadidas para extração de madeira e garimpo de ouro. A influência desses povos nativos está presente na culinária e no Bumba meu boi de Parintins, AM, que junto com o Círio de Nazaré, que acontece em Belém, PA, é a festa regional mais conhecida em toda a região. A região que deveria ter muita fartura é onde muitas vidas também são ceifadas pela fome e doença, devido à ausência de assistência social e médica.

Desafio missionário: Em consequência das características da Região Norte, o nosso maior desafio é a plantação de igrejas multiplicadoras entre as comunidades ribeirinhas. Apenas no estado do Amazonas, há 10.000 comunidades ribeirinhas e quase 4.000 dessas sem presença evangélica.

As comunidades ribeirinhas ainda não alcançadas no Amazonas estão entre dois e cinco dias de barco da cidade de Manaus. Com isso, a logística torna-se muito difícil de ser implantada e acompanhada. Para alcançar este alvo, foi implantado o Projeto Radical Amazônia, em parceria com a Convenção Batista do Amazonas e Missão Batista do Sul (IMB).
Clique e saiba mais sobre o Radical Amazônia.

Região Nordeste
Estados: Alagoas, Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí, Rio Grande do Norte e Sergipe
Área: 1.561.177,8 km² (18,26% do território nacional)
População: 45.237.423

Decoração: Paisagens de praias e sertões, objetos de artesanato em palha e couro.

Roupa típica: Rendeira (saia rodada comprida; chinelo de dedo, de couro)
Lanche: Cocada. Ingredientes: 1 kg de coco ralado, leite, 1 kg açúcar, 2 latas de leite condensado. Modo de preparo: junte o coco com o açúcar e o leite condensado. Mexa até desgrudar do fundo da panela. Lembre-se: a quantidade de coco seria a mesma de 1 coco grande ralado, cerca de 1 kg. Espere esfriar e corte em pedaços do tamanho desejado.

Almoço: Escondidinho de carne seca.
Ingredientes: 1 kg de batata doce cozida, 6 colheres de sopa de manteiga, 2 caixas de creme de leite, 1 maço de coentro picado, 2 cebolas fatiadas, 1 kg de carne seca dessalgada, Queijo mosarela. Azeitonas fatiadas, sal e pimenta a gosto.

Modo de preparo: Frite a carne seca em 2 colheres de manteiga. Acrescente as cebolas fatiadas e frite bem. Acrescente as azeitonas e o coentro picado. Reserve. Amasse as batatas e misture com o creme de leite, o queijo ralado, 4 colheres de manteiga e tempere com sal e pimenta. Misture tudo até formar um purê. Num refratário coloque metade do purê de batata, no meio a mistura da carne seca, cubra com queijo mussarela ralado, coloque o restante do purê e leve ao forno para gratinar.

Fique por dentro: Região de fortes contrastes, terra de um povo amável, forte e trabalhador, com um belo litoral, ao mesmo tempo em que no sertão o povo é marcado pela seca, fome e pobreza. Centro de expressões religiosas, da mistura do catolicismo com umbanda, devoção ao padre Cícero e São Francisco de Assis. A economia está baseada na agroindústria do açúcar e do cacau. Há exploração do petróleo, o turismo está se desenvolvendo, porém na maior parte da região é grande a pobreza.

Desafios missionários: O Piauí é o estado com o menor percentual de evangélicos de nossa federação. Há pouco mais de um ano, estava com cinco templos batistas fechados por falta de obreiros, recursos ou, até mesmo, fé daqueles que um dia frequentaram esses templos, ouviram as Boas-Novas e que agora se encontram desencorajados. No Piauí temos cerca de uma centena de municípios ainda não alcançados, além de cidades, como Teresina, onde há cerca de uma centena de bairros a serem alcançados, Floriano, Picos e Parnaíba.

Já no Maranhão, são cerca de 50 cidades sem presença batista, fora as dezenas de cidades onde o trabalho é lento, "quase sem desenvoltura", como diz o sertanejo. Igrejas com décadas de existência com duas ou três dúzias de crentes desanimados e sem forças para combater tanta idolatria, prostituição e as drogas. Dezenas de cidades grandes, com mais de 70 mil habitantes, e a maioria com apenas uma igreja batista. Igrejas que não aprenderam o princípio bíblico da multiplicação e por isso estão sozinhas e sem forças para pregar o evangelho para tanta gente. 

Região Centro-Oeste
Estados: Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul; Distrito Federal.
Área: 1.612.077,2 km² (18,86% do território nacional)
População: 10.731.090

Decoração: Paisagens do Pantanal, como papagaios, araras, tucanos jacarés e barcos

Roupa típica: Vaqueiro de Goiás (calça jeans, camisa quadriculada, botas e chapéu de couro); pantaneiro (chapéu de palha, calça comprida dobrada até o joelho e camisa quadriculada).

Lanche: Bolo de Cupuaçu. Ingredientes: 1 vidro de leite de coco, 10 ovos, 500 g de açúcar, 1 colher (sopa) de fermento químico em pó, 2 colheres (sopa) de margarina Qualy, 1,5 copo de cupuaçu, 2 xícaras (chá) de farinha de trigo. Modo de preparo: No liquidificador, bata os ovos, a polpa de cupuaçu e o leite de coco. Reserve. Na batedeira, bata a margarina, o açúcar, o fermento e a farinha de trigo. Misture as duas massas. Coloque em forma caramelizada e asse em banho-maria. 

Almoço: Galinhada (Receita para 2 porções). Ingredientes: 2 unidade(s) de coxa com sobrecoxa de frango, 150 g de Arroz, 50 g de cebola média, cheiro-verde picado a gosto, 2 folhas de louro, óleo de soja a gosto, limão, 50 g de pimentão verde, 2 dentes de alho, 200 g de tomate sem pele e  sem sementes, pimenta-do-reino branca, sal e colorau a gosto. 
Modo de preparo: Limpar bem os pedaços de galinha, deixando-os de molho um pouco na água com limão. Escorrer e cortá-los em pedaços não muito pequenos. Aquecer bem o óleo, juntando o colorau, a cebola, o alho, o pimentão, os tomates, o louro, a pimenta, o cheiro verde. Juntar a galinha em pedaços e deixar refogando bem. Acrescentar água fervente aos poucos e deixar cozinhando até que esteja macia e o caldo quase seco. Adicionar o arroz lavado e escorrido, fritando-o um pouco. Acrescentar água suficiente para cozinhar o arroz com a panela tampada e em fogo brando.

Fique por dentro: O Centro Oeste é a região do Pantanal. No verão, época das chuvas, fica parcialmente inundado. Um paraíso ecológico para os turistas. Para o povo pantaneiro as distâncias e difícil acesso trazem isolamento e solidão. Inicialmente baseada nos garimpos de ouro e diamantes, é substituída pela pecuária extensiva, praticada em grandes latifúndios. A grande concentração de terra faz com que haja também inúmeros conflitos pela sua posse. A industrialização ainda é pequena, e os índices de analfabetismo e de mortalidade infantil estão em um patamar ligeiramente superior aos das regiões Sudeste e Sul. Brasília, a capital federal, abriga a sede dos poderes Executivo, Legislativo e Judiciário, além de embaixadas e da maioria dos órgãos federais. Sua alta concentração demográfica contrasta com as vastas áreas do cerrado goiano, os cânions e cachoeiras da Chapada dos Guimarães e do Pantanal Mato grossense.

Desafios Missionários: Nos últimos cinco anos, o estado de Mato Grosso teve grande investimento, em especial na agricultura, tornando-se um dos maiores produtores de soja do mundo. Com isso, houve geração de empregos e grandes empresas projetaram os seus olhares para este estado. A população, no norte do estado, cresceu de forma acelerada e novas infraestruturas foram criadas para atender as demandas. Para cidades como Lucas do Rio Verde, Nova Mutum, Sorriso e Sinop há uma projeção de crescimento de 100% da atual população para os próximos cinco anos. Em contrapartida o crescimento dos batistas brasileiros ainda é muito lento. Os batistas somam 2 mil pessoas, representadas por 19 igrejas e 17 congregações, mas há ainda nove municípios e diversos distritos em toda a região sem a presença dos batistas brasileiros.Temos, assim, uma grande seara para investimentos espirituais. É urgente o envio de novos obreiros para fazer face aos grandes desafios missionários em municípios, como Nova Mutum, Lucas do Rio Verde, Sorriso, Sinop, Alta Floresta e nos municípios ainda sem presença dos batistas brasileiros na região norte de Mato Grosso. 

Região Sudeste
Estados: Espírito Santo, Minas Gerais, Rio de Janeiro e São Paulo
Área: 927.286,2 km² (10,85% do território nacional)
População: 67.889.787

Decoração: Cenário de grandes cidades; paisagem do Pão de Açúcar.
Roupa típica: Executivo, calça e camisa social, óculos e pasta. 
Lanche: Pão de queijo. Ingredientes: 1 kg de polvilho doce, 1 litro de leite, 3 ovos, 1 copo (americano) de óleo, 600 g de queijo meia cura ralado, 1 colher (sopa) de sal. Modo de Preparo: ferva o leite, desligue o fogo e coloque 2 colheres (sopa) de vinagre e o óleo; numa tigela grande, coloque o polvilho e o sal; despeje o leite e misture com uma colher de pau. Deixe esfriar; acrescente os ovos e misture bem. Por último coloque o queijo ralado e amasse bem; deixe descansar 15 minutos. Faça bolinha e asse em forno médio. Lembre-se: congele as bolinhas em uma bandeja, depois coloque em sacos plásticos próprios para freezer, retire todo o ar e feche bem.

Almoço: Vaca Atolada (cinco porções). Ingredientes: 1kg de mandioca descascada e picada, 4 tomates, 3 cebolas, cheiro verde a vontade, 3 pacotes de caldo de costela, 1kg e meio de costela de boi cozida, pimenta a gosto, 1 colher de sopa de colorau, tempero a gosto.
Modo de preparo: Afogue a mandioca e deixe cozinhar, quando já estiver macia acrescente o tomate picado, a cebola, o caldo de costela e deixe cozinhar mais um pouco. Acrescentar a costela de boi, deixar apurar mais um pouco e servir com cheiro verde e a pimenta de sua preferência. 

Fique por dentro: A Região Sudeste é a economicamente mais desenvolvida do Brasil, onde estão as maiores cidades: São Paulo e Rio de Janeiro, famosas pelo ritmo de vida, paisagens próprias, mas com os naturais problemas do desemprego. Com a maior população do país, a região contribui com mais de 60% do PIB. A partir do fim do século XIX, com a expansão cafeeira, a região recebeu muitos imigrantes europeus e japoneses, que deixaram grande influência cultural. A região vive também diversos problemas, tais como desemprego, violência, saúde, educação, transporte e moradia.

Desafios Missionários: No Triângulo Mineiro, com seus 35 municípios em que a maioria da população adere ao espiritismo, temos um vasto campo para levar a mensagem restauradora do perdão de Jesus Cristo. São cidades com baixo índice de evangélicos, com poucas igrejas evangélicas e batistas, onde precisamos plantar mais igrejas, dando oportunidade às pessoas de conhecerem a mensagem do evangelho de Cristo. São comunidades carentes que precisam ser atendidas no seu todo, de forma integral. Carentes em todos os sentidos do existir humano.

Já no sul de Minas, dos 155 municípios, só estamos presentes em 77. São cidades como Varginha, São Lourenço, Três Pontas, Três Corações, Itajubá e tantas outras onde as pessoas clamam por respostas e sentido à vida. Por fim, nos grandes centros, tais como Belo Horizonte, Uberlândia, Uberaba, Patos de Minas e tantas outras cidades, há uma carência de um todo do evangelho de Jesus Cristo. Para o estado, Missões Nacionais planeja a abertura de 40 novos projetos nos próximos três anos.

Região Sul
Estados: Paraná, Rio Grande do Sul e Santa Catarina
Área: 577.214,0 km² (6,75% do território nacional)
População: 23.804.528

Decoração: Flores, paisagens e objetos de plantação e pecuária
Roupa típica: Gaúcho (calça bombacha, camisa branca de manga comprida, lenço vermelho no pescoço, bota e chapéu de couro); paranaense (saia comprida colorida, blusa branca de renda, avental branco ou colorido, meia-calça branca, sapato preto e arranjo de flores para o cabelo).

Lanche: Maçã do amor. Ingredientes: 4 xícaras (chá) de açúcar, 2 xícaras (chá) de água, 1 xícara (chá) de groselha, 1 colher (chá) de cremor de tártaro, corante vegetal vermelho (se necessário), maçãs vermelhas e palitos de sorvete. Modo de Preparo: Leve o açúcar, a água, a groselha, o cremor de tártaro e o corante ao fogo até formar uma calda em ponto de fio; à parte espete um palito de sorvete em cada maçã já limpa; em seguida retire a calda do fogo e vá passando as maçãs, mergulhando as na calda e colocando as sobre o mármore untado; deixe secar e sirva; lembre-se: para que as maçãs fiquem firmes mais rápido, mergulhe as na água gelada assim que forem passadas na calda.

Almoço: Peixada Catarinense. Ingredientes: 5 postas grandes de peixe de mar, 3 limões, 2 cebolas grandes, 2 dentes de alho, 2 tomates grandes, maduros e sem pele, coentro, salsa e cebolinha a gosto, 1 colher de chá de grão de coentro moído, 5 batatas médias descascadas e cozidas em água, 1/2 colher de sopa de sal, 1 xícara de azeite de oliva, farinha de mandioca o suficiente, sal e pimenta-do-reino preta em grão a gosto.

Modo de Preparo: Temperar as postas de peixe e os camarões com o suco de 2 limões e sal. Descansar por 30 minutos na geladeira. Esfregar todo o interior de uma panela de barro com o alho. Untar com 1/2 xícara de azeite de oliva. Ralar as cebolas. Amassar os tomates como um purê. Misturar a salsa, a cebolinha e o coentro picados com o coentro moído e 1 colher de chá cheia de pimenta-do-reino moída. Arrumar na panela camadas alternadas de postas de peixe, camarões e temperos misturados. Regar tudo com 1/2 xícara de azeite de oliva e levar ao fogo forte até que ferva. Abaixar o fogo para médio, tampar a panela e cozinhar. Quando as postas de peixe estiverem cozidas, apagar o fogo e retirar todo o caldo da peixada para outra panela. Completar com água e sal a gosto. Levar ao fogo brando e misturar com a farinha de mandioca branca e crua até obter um pirão cozido e meio mole.

Fique por dentro: Região com o clima mais frio contribuiu para atrair, a partir do fim do século XIX, um grande número de imigrantes europeus, que se instalaram nas áreas serranas, onde desenvolveram a agricultura e a produção de vinhos. Hoje, o clima e a arquitetura de estilo europeu favorecem o turismo de inverno. No litoral catarinense e paranaense há intenso fluxo turístico também no verão. Os estados da região sul possuem as menores taxas de crescimento de evangélicos no Brasil. O Rio Grande do Sul tem cerca de 80 mil casas de cultos espíritas.  Há cerca de 340 mil espíritas só no Rio Grande do Sul. Também nesta região há muitas etnias carentes do evangelho. Em algumas cidades, cerca de 90% da população é descendente de outro país. No Paraná encontram-se japoneses, ciganos e a maior colônia árabe do país. Os muçulmanos estão se alastrando; só em Curitiba são cerca de mil muçulmanos. 

Desafios Missionários: Em virtude do lento crescimento dos batistas nesta região, onde cerca de 80% de suas igrejas nunca plantou outra igreja, e da grande carência espiritual da população, Missões Nacionais vem investindo pesadamente em sua evangelização. De janeiro de 2008 a abril de 2010, foram nomeados obreiros para 34 campos do sul do país. Dentre estes, 22 para o Rio Grande do Sul, seis para Santa Catarina e seis para o Paraná, alavancando a expansão do reino de Deus na região. Mas é preciso continuar investindo na plantação de igrejas que tenham visão multiplicadora para que assim possamos alcançar o maior número de vidas. Em Santa Catarina, há cidades com altíssimo índice de educação, cultura, saneamento, muitas ofertas de emprego, universidades, saúde pública etc., mas com presença evangélica muito baixa, e pouquíssima presença batista. Queremos plantar igrejas em cidades estratégicas como Tubarão, Criciúma, Joinville, Palhoça, Chapecó e Florianópolis para, a partir destas, espalhar para cidades do interior, na visão de igreja multiplicadora.


TEATRO MISSIONÁRIO - O NORDESTE BRASILEIRO

Número de participantes - Serão nove atores, representando cada estado do Nordeste. Procure envolver desde juniores até os irmãos da melhor idade. Pode-se criar um cenário onde os personagens sejam tipos populares alcançados pelo evangelho e que agora proclamam as Boas-Novas. Eles se reúnem para conversar sobre os desafios espirituais de suas regiões.

Decore o local da apresentação com artigos da região. A igreja pode usar de sua criatividade para incrementar as informações constantes do texto Panorama dos desafios no nordeste do Brasil. A ideia é compartilhar de maneira atraente a realidade do Nordeste. 

Depois que cada um compartilhar os desafios de seu estado, intercalando a fala, apresentam a conclusão e convocam a igreja a orar pelo Nordeste.
Panorama dos desafios no nordeste do Brasil.

Você é nosso convidado especial para dar uma volta pelo nordeste do Brasil, região encantadora por suas lindas praias de águas mornas o ano todo, terra dos canaviais, do petróleo, laranjas, soja, coqueirais, mas também terra das secas, do sofrimento, terra da dor, da violência, da idolatria infame que maltrata a alma do povo e o deixa sem rumo e sem esperança.

Maranhão
Tipo Popular: Colhedor de Babaçu - Característico do Maranhão, colhe os coquilhos do babaçu e os carrega num cesto ou caçuá, despeja-os no chão e à sombra das palmeiras, começa o trabalho. Quebra com um pau a noz e retira as amêndoas. Geralmente o trabalho é feito pelas mulheres, enquanto os maridos cuidam do arrozal.

Há, aproximadamente, 50 cidades sem presença batista, fora as dezenas de cidades onde o trabalho é lento, "quase sem desenvoltura", como diz o sertanejo. Igrejas com décadas de existência com duas ou três dúzias de crentes desanimados e sem forças para combater tanta idolatria, prostituição, drogas, em resumo, o pecado que cresce assustadoramente.
Dezenas de cidades grandes, com mais de 70 mil habitantes, e a maioria com apenas uma igreja batista, e milhares de pessoas indo para o inferno a cada ano. São igrejas que não aprenderam o princípio bíblico da multiplicação e por isso estão sozinhas e sem forças para pregar o evangelho para tanta gente.

Piauí
Tipo Popular: Vaqueiro do Nordeste - Vestido com roupa feita com o couro do boi, entram pela caatinga orientando o gado. Usam paletó de couro enfeitado com pespontos e fechado com cordões de couro, duas pernas de calças soltas (perneiras), luvas cobrindo as costas das mãos, alpargatas e chapéu.

Terra linda, mas é o estado com o menor percentual de evangélicos de nossa Federação. Há pouco mais de um ano, estava com cinco templos batistas fechados por falta de obreiros, recursos ou, até mesmo, fé daqueles que um dia frequentaram esses templos, ouviram as Boas-Novas e que agora se encontram desencorajados. No Piauí temos quase uma centena de municípios ainda não alcançados. Há muitas igrejas pequenas e quase sem condições de prosseguir na luta contra o pecado.
Há cidades que cortam o coração por vermos tanta miséria, até mesmo a falta do pão para alimentar o corpo. Mas a pobreza espiritual é muito maior do que podemos imaginar. Na grande Teresina há quase uma centena de bairros que precisam ser alcançados, o mesmo acontece com Floriano, Picos e Parnaíba. Com o Projeto Jesus Transforma, em 2009, a realidade de muitas cidades e bairros começou a mudar, mas ainda há muito a fazer nesse estado que já completou 100 anos de pregação batista. A Igreja de Jerumenha, fundada em 1908, não tem mais do que duas dúzias de irmãos. Precisamos orar e trabalhar para que o Piauí conheça Jesus.

Ceará
Tipo Popular: Mulher Rendeira - Característica de Ceará, graças à maior concentração de açorianos, faz os mais variados trabalhos em renda trabalhando com a linha enrolada em pequenos bilros de madeira.

Com um dos litorais mais bonitos do Brasil e a Serra do Ibiapaba, região rica na agricultura e pecuária, e lá está a cidade de Viçosa, conhecida como suíça cearense. Mas o Ceará é conhecido muito mais por suas romarias do que por suas belezas naturais. Do norte ao sul do estado impera a idolatria, mais uma vez responsável pela destruição de milhares de almas que partiram deste mundo desejando encontrar-se com o "padinho" Padre Cícero, de Juazeiro do Norte, ou o São Francisco, do Canindé, ou mesmo a virgem Maria para protegê-los na eternidade. Mas que decepção será para estas pessoas quando perceberem, tarde demais, que foram enganados em suas crenças. Quantos já partiram para a eternidade sem Jesus, o único caminho apresentado por Deus para que o homem chegue ao céu? Plantar igrejas no Ceará não tem sido fácil, pois as pessoas têm muita resistência ao evangelho e apego às imagens esculpidas. Um dos maiores desafios do Ceará é chegar a todas as cidades com uma igreja batista, quando aproximadamente uma centena de cidades ainda não foi alcançada. Fortaleza passou de 2.6 milhões de habitantes, Juazeiro do Norte está chegando a 300 mil habitantes, Sobral a 250 mil; é muita gente que precisa conhecer Jesus! 

Rio Grande do Norte
Tipo popular: Jangadeiros -  Característicos de Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte e Ceará, saem pelo mar, ainda de madrugada, nas tradicionais jangadas de pau piúba, em busca da pesca.

Estado pequeno, mas privilegiado com seu extenso litoral, além do petróleo que está no Oeste. Os municípios são pequenos e a maioria muito pobre, sendo assim as igrejas também costumam ser de pequeno ou médio porte, enfrentando dificuldades para chegar à autonomia financeira. O investimento no sustento de obreiros tem sido longo e compromete um avanço maior na plantação de novas igrejas. Aproximadamente uma centena de municípios ainda não foi alcançada por nós. Apensar de não haver grandes centros de romaria, o povo é católico praticante e resistente ao evangelho de Jesus Cristo. Há centenas de bairros que precisam ser alcançados nas cidades de Natal, Mossoró, Assu e Currais Novos. Há milhares de almas que padecem nas trevas sem qualquer esperança, o que deveria ser o suficiente para que pregássemos com mais ousadia o evangelho transformador de Jesus Cristo.

Paraíba
Tipo Popular: Apanhador de Coco - Tipo característico do Nordeste, é um jovem que precisa subir em altos coqueiros, com peia ( tamanca e correia) ou no braço, carregando um facão afiado ou uma pequena foice.

Há na Paraíba quase uma centena de municípios sem trabalho batista e muitas igrejas pequenas, que não crescem numericamente por causa do êxodo e também pela falta de visão de boa parte daqueles que um dia aceitaram Jesus, mas que não estão muito preocupados com aqueles que vivem nas trevas, atolados no pecado.

No sertão, os maiores desafios estão em Sousa (86 mil habitantes) e Cajazeiras (quase 60 mil habitantes), ambas com apenas uma igreja. Mas no centro do estado está o maior desafio: Campina Grande, com quase 500 mil habitantes, tem cerca de 800 batistas na cidade, divididos em 8 igrejas. Esta cidade tem mais de 50 bairros sem nenhuma igreja batista, enquanto que as seitas crescem assustadoramente. Na capital, João Pessoa, temos grandes igrejas, mas ainda dezenas de bairros que precisam  do olhar dos batistas e igrejas que compartilhem com amor o evangelho de Jesus, o Pão da Vida.

Pernambuco
Tipo Popular: Vendedores Ambulantes - Tipos folclóricos das ruas de Recife, são famosos nos cais, equilibrando suas mercadorias na cabeça ou numa vara apoiada nos ombros. Costumam usar, dentro do chapéu, panos ou algodão para acomodar melhor o objeto carregado.

Uma das maiores forças batistas do Nordeste. Centro de ensino teológico, lugar de grandes líderes denominacionais. Todos os municípios foram alcançados e contam com a presença de igrejas batistas ou, pelo menos, um missionário pregando as Boas-Novas de salvação, mas isso não quer dizer que o estado foi alcançado. O povo ainda é resistente ao evangelho e, passo a passo, está sendo alcançado. O maior desafio de Pernambuco é a plantação de igrejas multiplicadoras, visão que boa parte da liderança não tem. Há igrejas quase centenárias que não plantaram novas igrejas; há cidades enormes, com mais de 80 mil habitantes, com apenas uma igreja batista e pequena. Precisamos plantar, pelo menos, uma igreja para cada 20 mil habitantes, mas que seja multiplicadora, que esteja focada no principal, que é conduzir almas para o reino de Deus.

Alagoas
Tipo Popular: Cangaceiro - Tipo característico do Nordeste, é um criminoso errante, isolado ou em grupo, que vive de assaltos e saques. Carregava sempre sua espingarda atravessada nos ombros, como um boi debaixo da canga. Também trazia a tiracolo ou dependuradas no cinturão armas suplementares, como longos punhais e cartucheiras de pele ou de couro. O mais famoso deles foi Virgolino Ferreira da Silva, o Lampião.

Nesse estado, há milhares de vidas indo em direção ao inferno e tão pouco temos feito como batistas, não pela falta de recursos, mas pela negligência da própria igreja. Recentemente, estive em Arapiraca - cidade com quase 300 mil habitantes, uma das maiores do estado, e lá encontramos, ligados à nossa convenção, menos de 120 batistas. São mais de 40 bairros esperando pela plantação de novas igrejas e isso nos faz ouvir a voz do Senhor, aquela mesma voz que Isaías ouviu no templo: "A quem enviarei? Quem há de ir por nós?". Precisamos de irmãos dispostos a pregar o evangelho e outros que sustentem por meio de orações e contribuição financeira. Por que não plantar mais 15 igrejas em Arapiraca? O povo está perecendo e as trevas cobrem a cidade. E ainda há dezenas de outros municípios precisando ouvir a mensagem do evangelho, além de dezenas de igrejas pequenas, sofridas, que clamam por socorro.

Sergipe
Tipo de popular: Barqueiros do São Francisco - Navegam pelo São Francisco em canoas, barcos, botes de pesca, chatas (barcos com dois mastros), canoas de tolda ou barco de toldo. Percorrem as cidades ribeirinhas vendendo produtos em feiras.

Dezenas de cidades precisam de igrejas batistas comprometidas. Sim, comprometidas com a pregação do evangelho e o discipulado. O estado é pequeno geograficamente, mas com milhares e milhares de pessoas que necessitam de salvação para que entrem no reino de Deus. Aqui também a idolatria impera e o povo vive sem rumo e sem esperança; é um estado como os demais do Nordeste, onde o catolicismo romano escraviza mais de 90% da população. Pregar o evangelho nessa terra não tem sido fácil, os missionários que o digam, mas é uma necessidade. Como batistas, precisamos olhar para as pessoas com os olhos de Deus e perceber que em cada vida há um espírito que precisa ser lavado pelo sangue de Jesus.

Bahia
Tipo Popular: Baiana - Descendentes de africanos, usam saias amplas com muitas anáguas rendadas e engomadas, bata de rendas solta, pano nas costas, como um xale, sobre o ombro, turbante, chinelas ou sapatos de salto baixo e muitos enfeites como: pulseiras, brincos de ouro, prata, coral. São muito encontradas em Salvador vendendo quitutes.

O maior estado do Nordeste em extensão e também em número de habitantes; o maior em número de igrejas e congregações. Estado conhecido também por suas riquezas e pelo candomblé, as músicas afro e a comidas típicas. A Bahia continua sendo um grande desafio para os batistas brasileiros, pois dezenas de cidades ainda esperam por alguém que se disponha a pregar o evangelho; milhares de bairros nas grandes cidades ainda carecem da graça divina. Não podemos fechar os olhos e fazer de conta que não estamos vendo o grande número de pessoas envolvidas nas drogas, na prostituição, morando nas ruas, os presídios cheios de pessoas, etc. Precisamos de mensageiros, homens e mulheres, que um dia conheceram o amor de Deus, com coragem de entrar nesses lugares para testemunhar, para dizer que há poder no sangue de Jesus, há esperança para todos que creem.

Conclusão
Esse é o nordeste do Brasil. Aproximadamente 55 milhões de pessoas, 10% evangélicos e um grande desafio para todos nós. Nosso alvo é plantar 1.200 novas igrejas até dezembro de 2012, alvo possível se todas as igrejas existentes se preocuparem em plantar pelo menos uma nova igreja nesse período, o que é muito pouco diante dos desafios que conhecemos por meio das informações acima. Como missionários estamos empenhados, prontos a dar nossas vidas, mas entendemos que o desafio maior é fazer com que os pastores e igrejas se engajem nesse trabalho; o que só será possível com uma ação extraordinária do próprio DEUS. Clamemos pela intervenção dele.

Fonte:
Informações dos campos - Pr. Cirino Refosco - gerente regional de missões no Nordeste
Tipos Populares - Fonte site Brasil Channel -
www.brasilchannel.com.br

Pés no Arado 2011

E-mail Imprimir PDF
juventude_batista

juventude_batista

APOIO

jmm

jmm

Pés no Arado / 2011

Pés no Arado é um projeto missionário para jovens e adultos que tem como objetivo Sinalizar o Reino de Deus entre a comunidade local, através do serviço e testemunho de uma vida comprometida, colaborando para a melhoria da auto-estima da comunidade, qualidade de vida, incremento econômico, e ainda contribuir para revitalização da igreja local.

Período

De 03 a 13 de janeiro de 2011.
...incluindo o treinamento prático, atividades no campo e celebração da Vitória.

Datas e Locais

03 a 13 de Janeiro de 2011
Local: Terezina - PI.


Viajem do Projeto

Cada participante é responsável pela viagem de sua cidade de origem até a cidade de Terezina/ Piauí. (ida e volta).



Investimento

Quem pode participar?
Jovens de todas a idades que desejam doar um pouco do seu tempo e talento para quem muito precisa.


R$190,00
= (incluindo, hospedagem, alimentação, material de treinamento e camisa).



ATENÇÃO!

As inscrições se encerram no dia 28 de Dezembro de 2010.


Passo a Passo

Como fazer sua inscrição:

1.
Entrar em nosso site: www.juventudebatista.com.br/inscricao
2. Cadastre-se em nosso Sistema de Inscrições On-line (Caso não seja cadastrado);
3. Depois de Cadastrado, faça seu Login;
4. Clique em Fazer Inscrição;
5. Escolha o Evento Pés no Arado 2011;
6. Escolha a forma de pagamento... e pronto!!!


ATENÇÃO!

Você só vai se cadastrar no Sistema de Inscrições On-line apenas uma Vez.
Quando quiser participar de outro evento utilize o mesmo login e senha.
Caso tenha esquecido a senha, entre em contato conosco.


Faça contato conosco:

Tel/Fax: [21] 2157-5599
E-mail: Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo.
Twitter: @juventudebb
Skype: contato.jumoc

AS VAGAS SÃO LIMITADAS!!!

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL