Primeira Igreja Batista de Araguaína

Você está aqui:

Discipulado

A Formação de um Discípulo

E-mail Imprimir PDF
pegadas

pegadas


Como saber se você é discípulo?

A evidência indisputável no discernir se você é discípulo é a presença de um caráter como o de Cristo. Se o caráter de Cristo estiver faltando, você ainda não morreu para si e não está apto para reproduzir.
Um exame cuidadoso do ministério de Cristo revela que entre as virtudes que caracterizavam sua vida quatro qualidades destacavam-no de todas as demais pessoas como o Filho Unigênito de Deus. Estas eram a obediência, submissão, o amor e a oração.

Obediência

A obediência é o primeiro distintivo do discípulo. A motivação Cristã para a obediência é o amor e nosso bem-estar é resultado direto de nossa obediência.
Como o crente tem um compromisso de obedecer à vontade de Deus à medida que o Espírito Santo a revela, ele estuda a Palavra de Deus com um compromisso de viver aquilo que ele aprende.

Submissão

Submissão em alegria é a segunda característica de um discípulo. A submissão é uma atitude interior de confiança no Deus soberano, amoroso e onisciente.
Só podemos funcionar corretamente no corpo de Cristo se entendermos e vivermos por quatro verdades bíblicas que formam o fundamento para a submissão em alegria: a autoridade de Cristo é suprema, Cristo reina hoje através de autoridade delegada, você recebe autoridade através da submissão e discípulos exercem sua autoridade servindo. As relações de submissão e autoridade que Deus ordenou servem como o sistema nervoso central para a Igreja de Cristo.

Amar uns aos outros

A terceira característica que distingue o discípulo é que ele ama os demais cristãos. O amor de uns aos outros é a marca do discipulado (Jo 13:35). Para que tenhamos amor forte e consistente aos demais crentes, temos de entender e experimentar o perdão e a comunhão.

O discípulo não pode amar a Deus ou a si mesmo, e muito menos aos outros, a não ser que aceite o completo perdão de Deus e nessa base perdoe a si mesmo, aos outros, e aceite o perdão dos outros.

Não se pode experimentar o verdadeiro cristianismo em isolamento. Jesus reconheceu a necessidade dos relacionamentos. O ato inicial de seu ministério foi chamar doze homens a “estar com ele” (mc 3:14). Ele formou uma comunidade. Foi neste contexto que ele ensinou a seus discípulos a manter relacionamentos duradouros e íntimos com Deus e com o homem: amar ao Senhor de todo o coração-e ao próximo como a si mesmo.

Oração

A oração é a quarta característica do discípulo. Através da oração o cristão se encontra com o Deus vivo (Ef 3:11,12). O caráter do crente é formado pela sua comunicação com Deus. A comunicação é o segredo de todo relacionamento saudável.

Alguns princípios se aplicam à vida de oração do crente. Estes princípios são o elogio, ouvir ativamente, coerência e completa honestidade.

Criados para reproduzir

Uma vez morto para si, você é discípulo. E os discípulos foram criados para reproduzir (Jo 15:5). Não há chamado mais alto, comissão mais clara no Novo Testamento, do que a ordem de reproduzir em outros o caráter que o Espírito de Deus criou em você. Cristo espera que cada cristão produza fruto espiritual.

A escolha de um discípulo

A seleção da pessoa a quem você fará discípulo é de suma importância. Alguns princípios são indispensáveis para a escolha do discípulo: ter um alto padrão, orar diligentemente e selecionar com cuidado.

Se o Espírito de Deus lhe confirmar que deve fazer discípulo certa pessoa, tome a iniciativa, faça o convite, explique o relacionamento, comunique a visão e deixe que ela decida.

O discipulado é relacional

O discipulado é um encontro de uma vida com outra. Não é apenas uma série de reuniões sobre um dado curso de estudo. É essencialmente relacional- um investimento de tudo que você é numa pessoa. Seu relacionamento com seu discípulo deve ser caracterizado por: calor humano, lealdade, equanimidade, maturidade, disponibilidade, paciência, honestidade e motivação.

A dinâmica do discipulado

Para que se transforme a disposição de seu discípulo em dar frutos para a capacidade de reproduzir, seu ambiente espiritual tem de incluir diversos elementos. Estes elementos são a adoração, o ministério, a memorização, a meditação, o ensino, a correção de fraquezas e o desenvolvimento de forças. Se mesmo um estiver faltando, o treinamento do seu discípulo será deficiente. Quando o discípulo os entender tão bem que possa transmiti-los a outros, ele estará pronto para reproduzir. Você é responsável por transmitir-lhe essa dinâmica.

O padrão do discípulo: excelência

Deus é excelente e tudo o que ele faz é esplêndido (Sl 119:68). O seu discípulo precisa entender que como filho de Deus ele tem de refletir em todo o seu ser a excelência do Pai. Para transmitir fielmente um caráter piedoso a outras pessoas, o seu discípulo terá de entender e almejar o padrão de excelência de Deus. Paulo demarcou para Timóteo as cinco áreas que revelam se o discípulo está refletindo acertadamente o seu Deus e Pai (II Tm 4:12).

O modelo do mestre

O método de Cristo de treinar as pessoas é de máxima importância. A observação cuidadosa de sua estratégia revela que o treinamento de uma pessoa para se tornar discípulo atuante exige tratamento: primeiro, o método e a mensagem de Cristo eram: “Seja como eu sou.” Segundo, ele deu treinamento prático por um longo período de tempo se qualquer destes estiver faltando, o discipulado não ocorrerá.

Última atualização em Seg, 09 de Agosto de 2010 17:49

JPAGE_CURRENT_OF_TOTAL